A Casa Branca dos EUA está planejando atingir os pagamentos de remessas feitos por imigrantes ilegais mexicanos em uma tentativa de conter o fluxo de chegadas ilegais pela fronteira no sul. Se aprovadas, essas mudanças podem fazer com que os imigrantes nos EUA optem por alternativas, como o Bitcoin.

Esses planos estão ocorrendo em meio a uma grande mudança ocorrendo no Departamento de Segurança Interna (DHS), como uma tentativa de conter a imigração ilegal. Segundo notícias, milhares de migrantes estão chegando diariamente na fronteira no sul dos EUA, reivindicando asilo.

A declaração vem após uma proposta do ex-secretário de Estado do Estado do Kansas, Kris Kobach. Falando sobre a questão de acabar com as remessas de imigrantes ilegais mexicanos nos EUA, ele destacou:

A ameaça que proponho é uma que realmente nos ajuda se seguirmos em frente. Essa é a ameaça de acabar com as remessas da maioria das pessoas nos Estados Unidos do México que estão aqui ilegalmente. Essa é uma ameaça que poderíamos realizar e que realmente ajuda a economia, porque o dinheiro não é enviado para casa, permanece em circulação na economia dos EUA e ajuda a acelerar nossa economia. É realmente bom se seguirmos.

Não é a primeira vez que Trump voltou suas atenções para as remessas dos EUA para o México. Em 2017, ele ameaçou taxar ou pará-los como meio de financiamento para construir um muro ao longo de toda a fronteira no sul.

Não está claro exatamente quanto dinheiro os imigrantes ilegais mexicanos nos EUA mandam para casa. No entanto, de acordo com um relatório, 2018 viu um total de cerca de US $ 33 bilhões enviados em remessas dos EUA para o México. Além disso, esta é uma das maiores fontes de capital estrangeiro no México.

Proibir os imigrantes mexicanos nos Estados Unidos para enviar dinheiro de volta para casa com meios convencionais talvez faça com que essas pessoas procurem alternativas, em vez de suspender as remessas em geral. De fato, isso foi reiterado pelo próprio Kobach, que disse:

“Sempre haverá maneiras de contornar as coisas que você coloca em prática. Sim, se pararmos as transferências bancárias e as transferências bancárias, pode haver maneiras de contornar isso e uma maneira de contornar isso é enviar dinheiro pelo correio.”

E enquanto colocar dinheiro em um envelope e enviá-lo através da fronteira é, de fato, uma alternativa, o Bitcoin oferece uma transferência de valor muito mais segura e rápida. É também uma rede financeira politicamente sem fronteiras e sem fronteiras onde nenhuma autoridade central pode impor controles de capital.

Por estas razões, o Bitcoin já se tornou uma alternativa preferida em países que enfrentam crises políticas e econômicas. Isso inclui casos de uso, como pagamentos de remessas na Venezuela e em outros países da América Latina.

Além disso, a Venezuela até tomou medidas para lucrar com o mercado em crescimento, impondo uma taxa de 15% sobre todos os pagamentos de remessas de Bitcoin e outras criptomoedas.


Traduzido por: João Gabriel (@jgcastro1985)

Revisado por: Paulo Droopy (@PauloDroopy)

Confira o artigo original em inglês clicando aqui.