Sony, Microsoft e Nintendo, três das maiores empresas do mercado de games, se uniram para escrever uma carta aberta ao governo norte-americano, pedindo para que o governo dos EUA não aplique um aumento de 25% de impostos sobre consoles e jogos importados.

Os produtos afetados incluem controles, jogos arcade e jogos de tabuleiro. Na carta, publicada no dia 17 de Junho, as empresas disseram que 96% dos consoles importados pelos Estados Unidos são manufaturados na China e, por conta do hardware customizado dentro deles, eles não podem fazê-los facilmente. “A cadeia de suplementos desenvolveu na China ao longo de muitos anos por conta de investimentos nas nossas empresas e dos nossos parceiros”, disseram as companhias. “Isso causaria uma disrupção significativa na cadeia de suplementos para mudar a produção inteira para os Estados Unidos ou para um terceiro país e isso iria aumentar os custos – muito além do custo proposto pelas tarifas – nos produtos que já estão sendo fabricados sob condições de margem apertada.”

Eles continuam:

Cada console de videogame é composto por dúzias de componentes complexos provenientes de múltiplos países. Uma mudança, mesmo que em um único fornecedor, precisa ser avaliada cuidadosamente para mitigar riscos de qualidade do produto, não-confiabilidade e segurança de consumidor. Tarifas mudariam significativamente os negócios de nossas empresas e acrescentariam custos significativos que causariam uma depressão em vendas de consoles de videogames e os jogos e serviços que fazem com que esse segmento de mercado seja lucrativo.

As empresas não especulam quanto a nova taxa de 25% vai afetar os preços que os consumidores terão que arcar, mas eles argumentam que os efeitos do aumento do custo de produção seria sentido por toda a indústria de jogos eletrônicos, incluindo grandes e pequenas empresas que fazem games.

“Por causa da interdependência profunda entre os consoles de video games e os softwares de jogos, e devido à sensibilidade dos compradores de consoles ao preço, impostos sobre consoles de video games não iriam prejudicar apenas nossas companhias, consumidores e lojistas, mas também iriam prejudicar desproporcionalmente milhares de pequenos e médios desenvolvedores de softwares e e acessórios nos Estados Unidos”, dizem as empresas. “Portanto, essas tarifas causariam um efeito cascata de danos que se extensões por todo o ecossistema dos video games.”

A medida foi tomada por conta da guerra de impostos travada entre os EUA e a China. Essa disputa para decidir quem taxa mais vem prejudicando empresas e os consumidores tanto americanos quanto chineses de diversos mercados diferentes. Uma vez que o custo para produzir um determinado produto aumenta, o produtor precisa aumentar o preço daquele produto e repassar o custo para os clientes para não sair no prejuízo e isso pode ocorrer em qualquer etapa da cadeia de produção.

O Brasil, em contrapartida, pode ter uma redução nos impostos sobre eletrônicos muito em breve graças a um estudo da secretaria do Ministério da Economia. A possibilidade é de “redução de 16% para 4% os impostos sobre importação de produtos de tecnologia da informação, como computadores e celulares”, como afirmou Jair Bolsonaro em seu Twitter. A medida poderia se estender para os jogos eletrônicos, mas ainda não é certo. Leia a matéria completa sobre o assunto trazida pelo Gazeta Libertária clicando aqui.

Fontes: Kotaku e Jovem Nerd