Um juiz de Nova Iorque ordenou que a Bitfinex e seu afiliado Tether, que no começo do mês revelou ter apenas 74% de suas reservas lastreadas em Dólar, entregassem a documentação sobre um empréstimo e uma linha de crédito que a Tether fornecia à Bitfinex.

O juiz Joel Cohen, da Suprema Corte do estado, ecoou comentários de uma audiência preliminar realizada na semana passada em Nova Iorque em uma opinião publicada na Quinta-Feira, ordenando que os executivos e funcionários da Bitfinex e Tether parassem de emprestar as reservas da Tether à Bitfinex, juntamente com várias outras estipulações. durante uma investigação em andamento pelo escritório da Procuradoria Geral de Nova Iorque (NYAG).

Especificamente, o juiz ordenou:

  • A Tether não pode emprestar nenhum ativo à Bitfinex ou a outras partes, exceto no curso normal de condução de seus negócios;
  • O Tether não pode distribuir quaisquer fundos de suas reservas para executivos, empregados ou outros indivíduos, exceto para folha de pagamentos e pagamentos normais de fornecedores, consultores ou fornecedores;
  • Nem Bitfinex nem Tether podem modificar documentos solicitados nas intimações originais da NYAG; e
  • A liminar expirará em 90 dias, mas o escritório da NYAG poderá solicitar ao tribunal que a prorrogue duas semanas antes.
  • Notavelmente, a ordem parece indicar que o Tether agora pode investir suas reservas como parte de suas operações normais. A empresa disse em um tribunal anterior que usou suas reservas para fins de investimento, embora não esteja claro em que está investindo esses fundos.

Um porta-voz da empresa não retornou imediatamente um pedido de comentário.
Em um comunicado, a Bitfinex elogiou a decisão do juiz, escrevendo:

“Acreditamos que a decisão do tribunal hoje não deixa dúvidas de que tanto a Tether quanto a Bitfinex têm o direito de administrar seus negócios no curso normal, mesmo durante o curto período em que essa liminar agora está reduzida”.

A exchange também disse que o escritório da NYAG agiu de “má fé”, dizendo que ignorou “nossa cooperação anterior, histórica e voluntária com eles”.

“Defenderemos vigorosamente contra qualquer ação do escritório do Procurador-Geral de Nova Iorque e continuaremos comprometidos, como sempre, a proteger nossos clientes, nossos negócios e nossa comunidade contra suas reivindicações sem mérito”, concluiu a exchange.

A decisão do juiz ocorre apenas algumas semanas depois de a NYAG ter garantido uma liminar preliminar que congelou os ativos da Tether e solicitou documentos sobre um empréstimo de US$ 625 milhões e uma linha de crédito de US$ 900 milhões para a Bitfinex. A exchange precisou de fundos para continuar processando retiradas de clientes depois de perder o acesso a cerca de US$ 850 milhões mantidos pela Crypto Capital, uma processadora de pagamentos.

Os operadores da Crypto Capital, Reginald Fowler e Ravid Yosef, foram posteriormente indiciados pelo Departamento de Justiça por fornecer serviços bancários ilícitos a empresas de criptomoedas.

Fonte: Coindesk